.
.
Troféus e medalhas a qualquer custo. Até quando conviveremos com este tipo de irregularidade nas corridas?

Fortaleza, 17/02/2017 - Não são poucas as corridas em que verificamos premiações e classificações incorretas nos últimos anos, sejam nas solenidades de premiação (podium), ou até mesmo em consultas on-line pós-corrida. Quando você faz a sua inscrição em uma corrida, você fornece os seus dados pessoais, e a partir deste momento a sua inscrição é cadastrada no sistema de cronometragem da corrida, onde nem sempre esse tipo de alteração posterior é possível.

Em algumas corridas, a alteração dos dados cadastrais pode até ser feita durante a entrega dos kits, ou até mesmo, no dia da corrida, mas quando isso não é possível, você deve ter a consciência de que irá prejudicar um atleta que está ao seu lado, que muitas vezes treina exaustivamente e que precisa comprovar resultados para manter patrocínios. Você já pensou nisso?

Na maioria das vezes, erros cadastrais em resultados são causados por atletas inexperientes (independente da idade), que correm com inscrições de terceiros com naturalidade, até mesmo sem más intenções. Mas em alguns casos mais graves, essa irregularidade pode ser proposital, e os artifícios para a obtenção de melhores resultados chegam a ser verdadeiros delitos, como: corte em percursos; falsificação de números de peito; homens correndo no lugar de mulheres; jovens correndo no lugar de veteranos; ou até mesmo, subir ao podium sem sequer ter corrido, etc... Vai entender uma cabeça assim!

Em relação aos tipos de premiação, atualmente contamos nos dedos as corridas que possuem faixas etárias, e nesses casos, as probabilidades de erros nas solenidades de premiação são bem maiores. Quantas corridas já não ficaram com o podium vazio? Quando a classificação é virtual (apenas no site), alguns atletas até ignoram este tipo de classificação simbólica (que também é importante), e os erros continuam, mesmo sem podium presencial nas categorias.

Mas pior do que existirem problemas nas solenidades de premiação, são as fotos que encontramos depois na internet, que muitas vezes desvendam casos que não são identificados a tempo nas corridas.

Em relação aos patrocínios e apoio aos atletas, (que já são poucos), destacamos também um detalhe que muitas vezes passa despercebido na hora em que vamos preencher as nossas fichas de inscrição ou formulários on-line. Estamos falando da divulgação do nome dos apoiadores dos atletas nos resultados on-line pós-corrida. Em muitos casos, esse campo fica vazio, e a ausência desta informação dá menos visibilidade as empresas que apoiam atletas. Na maioria das vezes, atletas profissionais e amadores exibem seus patrocínios e apoios em camisas, viseiras, shorts ou bandeiras, mas o resultado on-line também faz parte deste marketing pessoal, e neste caso, a visibilidade pode ser ainda maior, pois a consulta on-line do resultado poderá ser feita a qualquer momento, se necessário, anos depois. Com inscrições incorretas (terceiros), este detalhe praticamente será eliminado da sua rede de apoiadores nos resultados. Lembre-se disso!

 

Vejam abaixo, algumas observações relacionadas a inscrições e resultados:

01. Atletas amadores ou profissionais, podem até perder patrocínios por não estarem em fotos no podium. Uma colocação a mais ou a menos, pode fazer muita diferença nesta hora, seja na classificação geral ou nas categorias etárias.

02. Os resultados divulgados nos sites, podem ser impressos e utilizados como documentos, para a comprovação de desempenho entre chefes ou diretores em empresas ou equipes esportivas.

03. Quem treina, quer ver o seu desempenho, independente da classificação. Neste momento, não há nada pior do que você pesquisar um resultado on-line e ver pessoas na sua frente que não deveriam estar naquele local.

04. Correções posteriores nos resultados são válidas, mas receber um troféu dias ou meses depois, sem o glamour do podium no dia da corrida, não é a mesma coisa.

 

Reconhecimento 11 anos depois: Finalizo esta matéria com este caso extremo que aconteceu recentemente, e que infelizmente não é o único caso no esporte neste gênero.

Onze anos depois, o quarteto jamaicano que conquistou a medalha de ouro nas Olimpíadas de Pequim 2008, foi desclassificado, pois um dos atletas desta equipe vitoriosa competiu dopado. Entre os prejudicados na equipe, está o velocista Usain Bolt, que perdeu uma de suas 9 medalhas de ouro olímpicas. Com esta decisão tardia (11 anos depois), o quarteto brasileiro que chegou em quarto lugar, herdou a medalha de bronze, mas o sabor desta medalha, não é mais o mesmo.

Enquanto os jamaicanos chegaram em seu país como heróis, (desfrutaram de muito prestígio e patrocínios durante anos), o retorno dos brasileiros deve ter sido bem mais modesto e glamouroso, pois o Brasil não possui princípios culturais de reconhecimento a atletas que não estão na midia, ou que conquistam resultados expressivos.

No caso dos brasileiros, (Vicente Lenilson, Sandro Viana, Bruno Lins e José Carlos Moreira), esta medalha de bronze deve ter hoje o valor de um ouro olímpico, mas certamente, muitas conquistas pessoais ficaram para trás em mais de uma década.

 

Se você está começando nas corridas, entre pela porta da frente!

01. Não compre inscrições em redes sociais na véspera das corridas, os dados, não serão os seus.

02. Não corra com a inscrição de alguém que tenha um pace inferior ao seu, principalmente com sexos diferentes.

03. Se você é jovem, jamais corra com os dados de um atleta veterano ou idoso.

04. Se você fez a sua inscrição em uma corrida e não poderá ir, fique com o seu kit, número e chip.

05. Evite divulgar números de peito em redes socais na véspera de corridas, (cópias podem ser impressas).

06. Consulte, analise e interprete adequadamente o regulamento de cada corrida.

 

Envie o seu comentário por e-mail: portaldocorredor@gmail.com

Deixe o seu comentário em nossa página de corridas no Jornal O POVO, link...

Última atualização: 20/02/2017, às 14h.

 

01. Valério Oliveira / CE: Cadê o espírito esportivo? Infelizmente isso está ficando difícil de se ver nas corridas de rua, o que sempre se ver, é má conduta de alguns corredores, se aproveitando de situações e com isso estragando a festa.

Na minha opinião, os regulamentos de todas as corridas deveriam ser mais rígidos para todos que se inscrevem, deixando bem claro que qualquer que seja as irregularidades, o atleta será penalizado. Com isso, teremos mais respeito para todos corredores e sim o espirito esportivo. Sou a favor das premiações nas categorias, mais com respeito a todos os participantes. Uma corrida com premiação para todos aqueles bem classificados com certeza traz mais público e amantes para as corridas de rua.

02. Cordeiro Vinhas / CE: Ao reportar-me ao teor do artigo "Premiações corretas, precisamos delas", cabe, a priori, cumprimentar seu autor, o Félix Luís, pela dicção oportuna e objetiva com que aborda problemas comuns às corridas de rua, os quais resultam não da negligência dos organizadores dos eventos, mas do comportamento aético dos atletas.

Particularmente, seja no tocante à troca de inscrições; seja jovens correndo com chip de idosos, constatam-se consequências danosas para a premiação e desabonadoras para os que se valem desses meios escusos! Neste caso, os organizadores, face às dificuldades de fiscalizar, vêm criando empecilhos às inscrições de idosos, desestimulando-os da prática desportiva e retirando-lhes as premiações para as faixas etárias dos mais idosos, cuja dedicação ao esporte deveria ser enaltecida e divulgada como exemplo de qualidade de vida e disciplina.

03. Régis Tomé / CE: Os Organizadores não se preocupam em corrigir falhas pós-prova. Tive uma caso na cross que passei 3 emails, pedindo correção, e como resposta: O silêncio. Também já presenciei corredores tentando trocar dados no momento de retirada do kit e botaram maior dificuldade, não aceitando. Para muitas pessoas, uma simples colocação justa já é um prêmio, falando de faixa etária, nem se fala da sua importância. Quanto aos corredores que fazem falcatruas, isso não merece sequer ser comentado.

04. Leôncio Pinheiro / CE: Só para você ter uma idéia, hoje na Corrida Amigos de Fátima em Fortaleza, João Bosco, que é figurinha carimbada no pódio, nem saiu na primeira relação anunciada da categoria 60-64. Já na categoria 50-54, eu estaria na terceira colocação, mas dois corredores reivindicaram que teriam chegado na minha frente. Eu não estou ali para isso, meu objetivo é sempre superar meu tempo. Fui embora e não sei qual foi a solução.

05. Félix Luis / CE: Não participo de corridas com o objetivo de subir ao podium, mas quando isso é possível, sinto-me honrado como qualquer outro atleta. Nos últimos dois anos, tenho a certeza de que fui prejudicado em pelo menos cinco oportunidades, mas como os amigos Régis Tomé e Leôncio Pinheiro deram a entender, não tenho o menor ânimo em insistir em algo que não terá o mesmo valor para mim. Como trabalhamos nesta área há 13 anos e convivemos com este tipo de problema, sempre comunicamos os organizadores que trabalham conosco sobre essas ocorrências desagradáveis.

06. Natália Rodrigues / CE: O comportamento de algumas pessoas que se auto intitulam “atletas” de corrida de rua é antiético e vai contra os princípios morais do esporte. Já fui vítima de premiações erradas, quando na minha frente a suposta atleta de caráter duvidoso teve a audácia de assumir uma colocação que não era dela. Ocorreu também do meu chip não marcar e ficar por isso mesmo. São tantas as situações e a cada dia é mais recorrente a falta de organização das corridas de rua. Preocupam-se tanto com temas que são dados para corridas, blusas para todos os gostos e modelos diferenciados de medalhas para chamar atenção dos consumidores, más torna-se necessário implantar uma cultura do bom senso e honestidade para que tenhamos provas justas com espírito verdadeiramente esportivo. Cabe ao atleta o dever de cumprir com o regulamento das corridas, cabe ao organizador a obrigação de fazer o melhor para dar devido suporte ao atleta, como já não bastasse as taxas abusivas de inscrições ainda temos que tolerar erros da parte dos organizadores e as má conduta dos falsos “atletas”. Vamos dar um BASTA!

07. Ricardo de Jesus Coutinho / CE: Bom dia. Quando envelhecemos, o coração não é o mesmo de quando tínhamos uns vinte poucos anos.Se treina forte , é mais fácil ele ter uma arritmia cardíaca. Então , sou muito a favor em ter sempre nas corridas premiações por faixa etária. Falta de respeito , competir com nome, número de outro atleta.

08. Sheila Maia / CE: Até concordo com com algumas dessas informações, porém alguns atletas quando fazem o cadastro colocam a data de nascimento errada, não colocam seus dados corretamente. Enfim, erro de ambas as partes.

09. Djalma Castro / CE: Muito pertinente essa matéria. Particularmente já passei por uma situação desagradável numa das etapas do circuito das estações em 2015. Estava em terceiro lugar e por uma lesão no pé, acabei a prova em quarto lugar. Não acompanhei a premiação pq fui ao hospital pra ver minha lesão. Depois, no resultado oficial do site do evento, constatei que o campeão da prova havia corrido com a inscrição de outra pessoa, muito desagradável. Entendo que as vezes as pessoas fazem sem maldade, por falta de conhecimento até, mas sei tbm que há muitos mal intencionados. É lamentável... Cabe a nós ficarmos atentos a fim de coibir esse tipo de atitude.

 

 

 

 

 

 

 

 

Matérias e arquivos que publicamos recentemente. Pesquise aqui!
.
.
.
 
.

 

 

Portal do Corredor: O pioneiro web no norte e nordeste brasileiro, 2004 / 2016 - Todos os direitos reservados.

Nossas páginas oficiais: www.portaldocorredor.com.br e www.portaldocorredor.com
Fanpage, Portal do Corredor & CIA: www.facebook.com/portaldocorredor
Direção da empresa, Félix Luis: link...
Instagram: portal_corredor
Twitter: @portal_corredor
e-mail: portaldocorredor@gmail.com

Nossos números:

Site: 12 anos de atividade, com matérias regionais e nacionais; 215 eventos divulgados até janeiro de 2016. link...
Fanpage: Mais de 1.000.000 (um milhão), de pessoas alcançadas em apenas 02 anos de atividade. link...
Mailling: Aproximadamente 23 mil e-mails para envios regulares.
Nosso público (2015): 54% mulheres, 46% homens.